Viagem de moto pela América do Sul

12º Dia-Machupicchu-08-Ter




Acordamos às 5h00 da manhã para tomar o café da manhã e pegar o trem das 6h20 para Machupichu. O trem leva a gente até a cidade de águas calientes e de lá pegamos um ônibus até lá em cima (quem quiser pode ir à pé). Quando chegamos na portaria, a gente chega e escolhe um guia, ou melhor, ele que nos escolhe, pois são muitos, e então seguimos com mais uma mineira e um casal de espanhóis. E assim começamos o passeio entre as ruínas. É encantador, o guia vai contando as histórias dos inkas,  como eles fizeram para fazer a cidade de Machupichu, o encaixe perfeito das pedras, a perfeição com que tudo feito, enfim, o local tem um encantamento, envolto em montanhas com rostos de guardiões, é tudo muito místico e cheio de energia (segundo o guia as pedras são energéticas). Comemos um lanche lá em cima e ficamos até o final (fecha às 16h00), no  final do dia, à medida que os turistas vão indo embora conseguimos sentir mais o local, tirar fotos mais bonitas, ver os detalhes das construções com mais precisão, chegar mais perto das lhamas, enfim, sentir mais o lugar. Conversamos com os seguranças da região e eles disseram que são cerca de 150 seguranças e “14 lhamas” para uma média de 3000 pessoas por dia, de todos os lugares do mundo. Saímos com a sensação de que seres muito elevados construíram aquilo em total sintonia com a natureza. Descemos de Machupichu em torno de 15h30 para a cidade de águas calientes, um vilarejo bem típico do Peru, de lá é que se pega o trem e que se retorna à Ollantaytambo. À noite jantamos na cidade mas, como fomos tarde, a maioria dos locais estava fechado mas, comemos uma pizza muito gostosa. Fim do dia!
































































































































































Um comentário: