Viagem de moto pela América do Sul

23º Dia-416 km-San Pedro Do Atacama->Purmamarca-ARG-19-Sáb


Acordamos e seguimos rumo à Argentina. No começo da estrada passamos do lado do vulcão Licancabur (o maior da região). O máximo! Depois andamos envoltos em meio a diversos outros vulcões. Segundo o guia que nos acompanhou, na região de atacama existem 90 vulcões dos 2300 localizados no Chile. A sensação que temos é de que são muito mais de 90 vulcões pois San Pedro fica localizada no meio de um monte de vulcões, pequenos, grandes, de boca aberta, de boca fechada, etc (nas fotos vai dar para entender o que é boca aberta e o que é boca fechada). No passeio do dia anterior pudemos ver um vulcão em atividade (com fumacinhas estalando). É uma paisagem belíssima. No caminho passamos pelo Salar de Tara (salar: deserto de sal), localizado à 140 km de San Pedro, com 4400 m de altitude, localizado dentro da Reserva Nacional Los Flamencos, belíssimo. Subimos à aproximadamente 4900 m de altitude e pudemos tocar na neve que fica na beira da estrada, fizemos várias bolinhas de gelo, só não fizemos bonequinho de gelo por conta do frio, o termômetro da moto estava marando 5  graus. Enfim chegamos no Paso de Jama (pico mais alto da estrada, é a fronteira do Chile e Argentina). Chegamos na aduana com 4100 m de altitude (aduana mais alta da cordilheira), primeiro passamos pela aduana chilena e depois pela aduana argentina, foi rápido porque estávamos de moto e porque a aduana é integrada. Tinha um pessoal que estava de ônibus que teve que tirar todas as malas do ônibus para passar no scaner, para nós foi mais fácil, o policial só deu uma olhada na moto e o cachorro oficial estava dormindo (bem diferente da aduana chilena, lá o oficial soltou o cachorro para cheirar as motos). Bem próximo à aduana tem um posto com gasolina bem cara, abastecemos e seguimos caminho. Bem vindos à Argentina! gasolina em torno de R$ 7,00 o litro (só para constar, o atendimento neste posto foi péssimo, tudo muito lento). Seguimos a rota 52 que corta o Salar chamado Salinas grandes, é um enorme deserto de sal que ocupa 12.000 hectares, localizado no norte da Argentina, na província de Salta. A crosta de sal com cerca de meio metro de espessura que forma Salinas Grandes é o resto de um lago que se secou há milhares de anos e hoje é a segunda maior salina da América do Sul, é uma enorme planície branca de sal. É formada por enormes pelotas de sal. Depois descemos a Cuesta De Lipan, é um trecho de serra com paisagens incríveis, cheia de curvas e montanhas coloridas (imagina que alegria para quem, há dias, só via deserto). A estrada é lotada de cactos gigantes, nunca vimos nada assim no Brasil. No final do dia, umas 17h00, chegamos em Purmamarca. Purmamarca é chamada de cidade do pico das sete cores devido às montanhas coloridas, conseguimos dar uma voltinha na praça, que fica lotada de artesanato (não dá para saber se é artesanato peruano ou argentino, é tudo muito parecido) e depois fomos comer uma carninha argentina, a maioria dos restaurantes abre às 20h00 e fecha às 22h00, quase ficamos sem comer, ainda bem que encontramos um que fechava mais tarde.     

saindo de San Pedro de Atacama



único posto de gasolina em San Pedro de Atacama



vulcão de boca fechada (no meio) e de boa aberta (à direita) 
animais na pista






4816 m de altitude







gelo na beira da estrada
brincando na neve...



esquentando a mão no motor da moto









Salar de Tara


Rafa conhecendo o Salar de Tara...














Aduana integrada Chile Argentina















Salar Salinas Grandes
























excursão argentina se encantou com "os motociclistas"




Cuesta De Lipan 



 

casal que conhecemos no Salar Salinas Grandes - viajando de harley davidson

 







montanhas coloridas


Purmamarca
chegada no hotel Los Colorados


artesania na praça em Purmamarca
comendo uma empanada
final do dia


Nenhum comentário:

Postar um comentário