Rastro da Serpente

2º Dia-220 km-Parque Estadual Carlos Botelho




Hoje fomos conhecer a estrada ecológica do parque estadual Carlos Botelho. Saímos do hotel em Capão Bonito no horário programado, 10h:30, afinal o caminho a percorrer neste dia é curto, tem cerca de 220 km ida e volta. Seguimos pelo primeiro trecho, rodovia SP-127 "Raposo Tavares", até a entrada para São Miguel Arcanjo, onde começa a SP-139. Este segundo trecho, segue o "padrão Brasil", pista sem acostamento, cheia de remendos mal feitos e buracos até o início do parque. Na entrada da estrada ecológica, nos deparamos com um lindo portal. Lá recebemos uma ficha de acesso, que deve ser apresentada na saída, isto serve somente para  o controle do número de veículos e visitantes. E lá vamos nós sentido Registro. O portal do parque parece ser mágico, ao atravessa-lo tudo muda drasticamente, o asfalto esburaco fica para trás e daqui para frente a estrada é toda calçada com blocos de concreto, conhecidos como "Bloquetes". São 33 km cortando a mata Atlântica, a temperatura que minutos atrás era de 30 graus, em meio a floresta cai para 24 graus. Durante o percurso passamos por uma lanchonete e encontramos alguns pontos de visitação, mas com um agravante, não tem ponto de parada, os carros e motos se amontoam onde acham melhor. Um exemplo é o mirante, que em dias claros se avista o Vale do Ribeira, a estrutura é perfeita, com deck de madeira e quiosques, mas não tem lugar para estacionar os veículos, obrigando os visitantes a parar na estrada. O caminho é muito sinuoso, com grandes ondulações, verdadeiras rampas, que em velocidade alta faz as rodas saírem do chão, por estas e outras que a máxima permitida é de 40 km/h, ideal para observar a densa mata que nos cerca. Em nenhum momento avistamos animais, o que observamos, foram acessos entre as árvores e embaixo da via, com a finalidade de evitar que os animais atravessem a pista e sejam atropelados. Após uma hora de passeio, com paradas para beber água na bica a beira da estrada e algumas fotos no mirante, chegamos ao Portal Sete Barras, fim do parque. Para quem deseja, neste ponto é possível tomar banho de rio. Aqui fizemos o retorno e voltamos pelo mesmo caminho sentido Capão Bonito, onde visitamos o bar Porthal Rastro da Serpente, conhecido pelo apoio que oferecem aos motociclistas que por aqui passam. Agora é hotel, jantar e óleo na corrente. Inté.



























































Nenhum comentário:

Postar um comentário