Ushuaia

17º Dia-344 km-Punta Arenas -> Torres del Paine


Hoje deixamos a cidade de Punta Arenas, desta vez em quatro motos. Encontramos nossos novos amigos no posto, abastecemos e partimos para Torres del Paine. A estrada é muito boa, com muitas curvas, mas o que mais impressionou foram as montanhas ao fundo, com seus picos nevados, é de tirar o fôlego. O tempo estava ótimo, mas ao longe, durante toda a viagem, sempre a nossa esquerda, uma nuvem carregada despejava uma coluna d'água, o que nos deixou apreensivos o dia todo afinal o frio por lá é bem severo, e com chuva, nada agradável! A dúvida era: para que lado a estrada ia? para o lado do céu azul claro ou para o lado do céu azul! dúvida crucial! Curva para cá, curva para lá, até que a dúvida deixou de existir, a estrada ia em direção à chuva! Não teve jeito, praticamente entramos na nuvem ou melhor,  chuva, o termômetro que marcava 14 graus despencou para 4 graus, as pontas dos dedos começaram a adormecer, os pés mesmo estando secos, ficavam formigando de frio. As roupas de cordura protegem contra a água, assim como as botas, mas molhados, com o vento, esfria muito. Aqui cometemos um erro, deveríamos ter parado antes da nuvem, para vestir a capa de chuva, isso amenizaria aquele frio insuportável. Ficamos pouco tempo nesta chuva, cerca de dez minutos, mas foi o suficiente para sentir que não precisa de muito tempo para ter hipotermia. Chegamos em Puerto Natales, molhados, morrendo de frio, sem sentir as mãos e os pés, mas vivos! Diante da possibilidade de continuar chovendo, resolvemos alugar um carro para andar no parque Torres del Paine. Levamos em conta as estradas de rípio, o desconforto de caminhar com roupas de cordura no parque, o frio, enfim, colocamos tudo na balança e decidimos que era o melhor a fazer. Nossos amigos, Túlio e Igor, seguiram de moto, enquanto nós fomos procurar uma locadora. No posto nos informaram onde tinha uma, como a cidade é pequena não foi difícil de encontrar. Ficamos uma hora esperando o rapaz que entrega o carro, deixamos as motos no estacionamento da locadora, pegamos as malas e partimos. Nossa primeira parada foi na Cueva del Milodon, caverna onde encontraram as ossadas do Milodon, há milhares de anos atrás era a morada dele,  ele é muito parecido com um Urso, só que bem maior. A estrada, de Puerto Natales até a placa que indicava a entrada para o parque Torres del Paine, estava perfeita. Ao entrar à esquerda, sentido parque, a estrada passou a ser de rípio e ficou bem estreita, mas em boas condições. Mais a frente, após a Cueva del Milodon, ela estava asfaltada, até próximo à portaria do parque, onde volta a ser de rípio, sendo que em certos trechos há muitas pedras soltas. Pagamos o ingresso na portaria e seguimos. O visual é sem dúvida o mais impressionante que já vimos até agora, lagos de cor verde, azul, montanhas indescritíveis, não sabíamos para onde olhar, a cada curva, uma surpresa, e foi assim até chegar no hotel, no meio do parque. 

saindo do hotel






























































chegando no hotel:  Hosteria Pehoe





Nenhum comentário:

Postar um comentário